Artigo | Na Índia, maior lavanderia a céu aberto do mundo opõe “intocáveis” e modernidade

Sandro Fernandes | Mumbai – 17/01/2013 – 18h16

Na Mahalaxmi Dhobi Ghat, pelo menos 500 mil roupas são lavadas todos os dias, em 826 pequenos tanques

Indianos trabalham na maior lavanderia a céu aberto do mundo, a Mahalaxmi Dhobi Ghat, localizada em Mumbai. Foto: Sandro Fernandes/Opera Mundi.

Homens sem camisa usando sarongues, centenas de tanques de água e milhares de peças de roupa. Esta é a primeira visão que se tem desde uma ponte que dá acesso a Mahalaxmi Dhobi Ghat, a maior lavanderia a céu aberto do planeta. O dia ainda nem amanheceu em Mumbai, a cidade mais populosa da Índia, mas para cinco mil indianos a jornada começou cedo. Alguns estão no local desde as 3 da manhã.

O barulho das gotas que caem das roupas secando, as conversas paralelas e até mesmo o trânsito desta metrópole são abafados pelo ruído das camisas e lençóis sendo literalmente lançados contra as muretas dos tanques de água. É ali que pelo menos 500 mil roupas são lavadas todos os dias, em 826 pequenos tanques que se assemelham a minúsculas piscinas ou caixas d’águas de concreto.  Continuar lendo “Artigo | Na Índia, maior lavanderia a céu aberto do mundo opõe “intocáveis” e modernidade”

Os Mitos e a Mitologia

Athena by x_tiger (cropped for detail) ...GO TO SALE NOW www.facultyoffashion.com ONLY @ SHOPBOP , repinned by Style69er, follow more content at www.pinterest.com/style69er/hottest-of-the-honey-pot/
Na mitologia grega, Atena (ou Palas Atena) é a deusa da guerra e da sabedoria, além de outras habilidades (Fonte da imagem: Pinterest).

Mitos são histórias antiquíssimas, nascidas da tradição oral: bem antes que a escrita fosse inventada e que a maioria das pessoas soubesse ler e escrever, já eram contadas histórias sobre deuses, heróis e antepassados. Todas as civilizações antigas tiveram suas crenças e histórias sagradas. Em geral, quem fazia a narração dos mitos eram os sacerdotes ou líderes tibais, em cerimônias rituais, mágicas, ou encontros significativos entre os cidadãos de cada sociedade. Com o passar do tempo, várias dessas histórias foram se misturando a outras narrativas de povos vizinhos ou imigrantes. Ao se transformarem, surgiram às lendas e contos folclóricos, que quase sempre possuem elementos míticos.

Como na maioria das vezes eram as pessoas mais idosas que conheciam de cor os mitos e os contos folclóricos, grande parte dessas histórias foi-se perdendo no decorrer dos séculos, já que não eram registradas por escrito e às vezes os sábios e anciãos morriam sem ter transmitido sua sabedoria a um descendente. Outras narrativas, registradas em pergaminho, barro e mesmo pedra, desapareceram também por causa de guerras entre povos, com a destruição das cidades e incêndios. Um dos mais terríveis consumiu a famosa Biblioteca de Alexandria, no Egito, onde se diz que estavam reunidos papiros e pergaminhos contendo textos de vários povos da Antiguidade.

A reunião dos mitos de uma civilização ou cultura constitui a sua mitologia. Existem, portanto, a mitologia grega, a egípcia, a japonesa, e assim por diante […].

Os mitos mais conhecidos são os pertencentes à cultura greco-romana, pois o pensamento dos antigos gregos, ou helenos, foi incorporado pelo Império Romano e através da dominação de Roma essa mitologia se espalhou pela Europa, Ásia e África, permeou o pensamento e a literatura europeus, e tem influência até hoje. Mas não são menos importantes os mitos da Babilônia, do Egito, de Israel, da Pérsia, ou os criados pelos povos celtas e nórdicos, na Europa. Sem esquecer os povos orientais – China, Japão, Tibete, Índia – e das populações da África, da Oceania e das Américas. Civilizações pré-colombianas, como as dos astecas, maias, incas, povos nativos norte-americanos e indígenas brasileiros estão também repletas de mitos e lendas, que contam histórias fascinantes e mágicas.  Continuar lendo “Os Mitos e a Mitologia”

Lenda Celta – O Casamento de Fionn

image
O rei Fionn. Fonte: sacredwood.yuku.com.

Vários anos se passaram depois que Fionn restaurou o prestígio dos fiana. Ele dirigia seu exército com sabedoria, e em todas as circunstâncias dava exemplo de bravura e bom humor.

No entanto, havia uma coisa que incomodava seus companheiros: o rei não tinha nenhuma mulher ao seu lado. Certo dia, Crimall abordou o assunto com o sobrinho.

– Agora você precisa pensar em deixar descendentes.
Conheço várias mulheres que ficariam honradas em viver ao seu lado, mas parece que você não as vê.

Fionn refletiu por um momento, depois disse:

– Você se lembra da noite em que fui sozinho até a fonte sagrada, que fica entre duas colinas, fora dos muros de Tara?

– Lembro, sim. Conforme manda o costume, você foi preparar o coração e a alma para se tornar rei dos fiana.

– Pois bem, aquela noite tive um encontro.

E Fionn contou ao tio a história que se segue.

Ele estava meditando ao lado da fonte, quando uma das duas colinas se abriu para dar passagem a três moças, uma mais linda do que a outra. Manteve-se completamente imóvel, para não denunciar a sua presença e poder observá-las à luz do luar. De repente, uma delas olhou em sua direção e conteve um grito. Imediatamente as três saíram correndo.

– Esperem! Não fujam! – ele gritou, saindo em sua perseguição.  Continuar lendo “Lenda Celta – O Casamento de Fionn”

Lenda Celta – Cuchullain

O herói celta Cuchullain. Fonte: rstynes.net
O herói celta Cuchullain. Fonte: rstynes.net.

Na região do Ulster, no Norte da Irlanda, durante o reinado de Conchobar, a irmã do rei deu à luz uma criança que recebeu o nome de Sétanta. Acreditava-se que era filho do deus Lugh. O menino cresceu entre os guerreiros do rei, e aos sete anos, já demonstrando força fora do comum, matou o feroz cão de guarda do ferreiro Cullan; propôs-se a tomar o lugar do cão e guarda e foi, por isso, chamado “Cão de Cullan”, ou Cuchullain.

Depois disso, sua força só aumentou, e começou a realizar feitos notáveis, cmo matar três gigantes que ameaçaram os guerreiros de sua terra. Mas era sujeito à loucura da guerra, sendo quase o que os nórdicos chamavam de “berserker”: um homem que, em batalha, entrava numa espécie de transe, frenesi que o levava a matar descontroladamente. E uma profecia dizia que ele seria famoso por toda a Terra, mas que teria vida breve. Continuar lendo “Lenda Celta – Cuchullain”

Lenda Celta – Os Tuatha dé Danaan

Os habitantes do além-mundo eram os Thuata Dé Danann - a tribo da deusa Dana, mãe de uma importante família de deuses. De acordo com o folclore irlandês, os Thuata Dé Danann  eram uma estirpe de pessoas hábeis nas artes de magia e no druidismo que, em algum momento no passado distante, chegaram à Irlanda de uma terra do norte. (Fonte: Irlanda celta: entre os druídas e os grandes reis, Editora Folio).
Os Thuata Dé Danaan. Fonte: Pinterest.

O povo celta habitou muitas regiões da Europa, onde mais tarde se consolidariam as nações da Gália, Bretanha, Germânia; estiveram também na Península Ibérica e nas ilhas Britânicas. A maior incidência de seus mitos concentrou-se Continuar lendo “Lenda Celta – Os Tuatha dé Danaan”

Taoismo

Clique nas imagens para abrir a galeria de imagens.

O taoismo se baseia num livro chamado Tao Te Ching, “O livro do Tao e do Te” (tao = caminho, ordem do mundo; e te = virtude, força vital). O Tao Te Ching é um livrinho de apenas 20 ou 25 páginas, dividido em 81 capítulos. Ninguém sabe ao certo quem o escreveu, mas diz a lenda que foi o filósofo Lao-Tse. As histórias sobre a vida de Lao-Tse são muitas e variadas, e os historiadores não têm certeza sequer se ele de fato existiu. Feita essa advertência, abaixo vamos nos referir a Continuar lendo “Taoismo”