Lenda Celta – Cuchullain

O herói celta Cuchullain. Fonte: rstynes.net
O herói celta Cuchullain. Fonte: rstynes.net.

Na região do Ulster, no Norte da Irlanda, durante o reinado de Conchobar, a irmã do rei deu à luz uma criança que recebeu o nome de Sétanta. Acreditava-se que era filho do deus Lugh. O menino cresceu entre os guerreiros do rei, e aos sete anos, já demonstrando força fora do comum, matou o feroz cão de guarda do ferreiro Cullan; propôs-se a tomar o lugar do cão e guarda e foi, por isso, chamado “Cão de Cullan”, ou Cuchullain.

Depois disso, sua força só aumentou, e começou a realizar feitos notáveis, cmo matar três gigantes que ameaçaram os guerreiros de sua terra. Mas era sujeito à loucura da guerra, sendo quase o que os nórdicos chamavam de “berserker”: um homem que, em batalha, entrava numa espécie de transe, frenesi que o levava a matar descontroladamente. E uma profecia dizia que ele seria famoso por toda a Terra, mas que teria vida breve.

Foi enviado para aprender as artes de guerra da feiticeira Scáthach, chamada rainha das trevas, em distantes terras escocesas. Lá também se destacou como guerreiro e, ao voltar, trazia armas poderosas e conhecimentos mágicos. O povo de Ulster havia planejado casá-lo com a princesa Emer, filha do poderoso Forgal Manach. Porém o pai negou-se a dar-lhe a filha em casamento, o que disparou o frenesi do herói, que destruiu a fortaleza onde a moça estava, exterminou os soldados de Forgal e causou a própria morte deste. Mas levou Emer para Ulster, e casou-se com ela.

Os feitos de Cuchullain são inúmeros, e talvez suas aventuras mais conhecidas sejam relacionadas com a guerra do Ulster contra a rainha Maeve, que mergulhou a Irlanda em uma longa e sangrenta campanha. Foi graças aos feitos do invencível filho de Lugh que Maeve teve que desistir de suas investidas, porém ela sempre desejou vingança, e a obteve anos depois, com a ajuda dos guerreiros Lugaid e Erc, cujos pais Cuchullain havia matado.

Usando um estratagema, Maeve fez com que ele fosse recebido como hóspede e que lhe oferecessem uma refeição contendo carne de cachorro. A tradição dizia que nenhuma pessoa podia recusar a refeição oferecida por um anfitrião, mas dizia também que era tabu comer tal carne. Ele cumpriu al ei da hospitalidade; porém, ao comer a carne proibida, enfraqueceu: e com isso pôde ser ferido pela lança mágica que Lugaid levara. Vendo que ia morrer, amarrou o próprio corpo em um pilar de pedra, para morrer de pé. Dizem que essa pedra ainda existe, na cidade de Knockbridge, marcando o local em que morreu o grande herói do Ulster.

Texto extraído na íntegra do livro Volta ao Mundo em 80 Mitos.

Clique aqui para ouvir o podcast do site Mitografias com a Rosana Rios, autora do livro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s