Principais Deuses e Deusas Celtas (Mitologia Irlandesa)

Os celtas não misturavam panteões de outras culturas e nem cultuavam deuses celtas de outras tribos. Apesar das semelhanças, cada ramo celebrava seus deuses locais seguindo apenas as referências das tradições pertencentes à sua terra natal, com exceção de algumas divindades pan-célticas.

A seguir, alguns dos principais deuses celtas da mitologia irlandesa.

A deusa celta da fertilidade Aine (ou Enya) possuía aspectos similarmente contraditórios de personalidade. Sua província principal era a área de Lough Gur no condado Limerick, lugar há muito tempo considerado encantado. Numa ilha do lago - cujo nome significa "dor" - a deusa poderia sentar em uma cadeira e dar à luz a colheita. Em outras ocasiões, no entanto, Aine podia representar a outra ponta do círculo contínuo da vida. Dizia-se que ela se transformava numa velha bruxa que trazia discórdia para aqueles que negavam seus módicos pedidos. (Fonte: Irlanda celta: entre os druídas e os grandes reis, Editora Folio).
Deusa Áine

Áine: deusa do amor, da fertilidade e do verão. Rainha dos reinos feéricos dos Tuatha de Danann, conhecida como “Cnoc Áine” (Monte de Áine) é a soberana da terra e do sol, associada ao solstício de verão, às flores e as fontes de água. Áine (Enya) – filha de Manannán Mac Lir – representa a luz brilhante do verão. Como uma deusa solar, podia assumir a forma de uma égua vermelha.

angus
Deus Oengus

Oengus / Angus Mac Og: Deus da juventude, do amor, da beleza e da inspiração poética, um Tuatha de Danann. Era filho de Dagda e Boann e, assim como o pai, possuía uma harpa mágica, que produzia um som doce e irresistível. Foi associado à “Brugh na Bóinne” (Newgrange – Irlanda). Oengus se apaixonou por uma linda jovem do Sídhe, mas somente a via em sonhos. Essa é uma lenda que faz parte do Ciclo Mitológico Irlandês, conhecida como O Sonho de Oengus.

badb
Deusa Badb

Badb: deusa da guerra, dos campos de batalha e das profecias. Era conhecida como “O Corvo de Batalha” ou “A Gralha Escaldada”. Com suas irmãs, Macha e Morrighan, formava um trio de Deusas guerreiras, as filhas da Deusa-mãe Ernmas, que morreu em “A Primeira Batalha de Magh Turedh”, conto que descreve como os Tuatha Dé Danann tomaram a Irlanda dos Fir Bolg. Badb rege a morte, a sabedoria e a transformação.

bile
Deus Bilé

Bilé: considerado o pai dos deuses e dos homens. Companheiro de Dana e pai de Dagda, o principal líder dos Tuatha de Danann. Alguns mitos dizem que ele era o antepassado dos Milesianos, último grupo de soldados liderados por Mil Espáine, que invadiram a Irlanda na época de Beltane e derrotaram os Tuatha de Danann. Bilé é o Deus do Outro Mundo, considerado o “primeiro ancestral”, associado às fogueiras da purificação. Na tradição irlandesa “Bilé” significa “Árvore Sagrada”, que pode representar uma árvore real ou um ponto de referência central a um local religioso ou altar.

A deusa celta Brígida (variações: Brigit, Brighid ou Brig) é filha do deus Dagdha - ou "o bom deus" - e protetora dos animais de criação. A festa pagã do Imbolc, realizada anualmente em 1º de fevereiro, reverenciava o papel de Brígida no nascimento dos carneiros e ovelhas e na lactação das ovelhas.  (Fonte: Irlanda celta: entre os druídas e os grandes reis, Editora Folio.) É uma das mais populares deusas celtas na Irlanda.
Deusa Brigit

Brigit / Brigid / Brighid / Brig: deusa reverenciada pelos Bardos, tanto na Irlanda como na antiga Bretanha, cujo nome significa “Luminosa, Poderosa e Brilhante”. Brighid, a Senhora da Inspiração, era filha de Dagda, associada à Imbolc e as águas doces de poços ou fontes, que ficam próximos às colinas. É a deusa do fogo, da cura, do lar, da fertilidade, da poesia e da arte, especialmente a dos metais. Brighid também é uma deusa guerreira, conhecida como “Bríg Ambue“, a protetora soberana dos Fianna. Brighid era consorte de Bres e mãe de Ruadan, que foi morto ao espionar os Fomorianos. Ela sentiu profundamente a morte do filho, dando origem ao primeiro lamento poético de luto irlandês, conhecido como keening.

Illustration from The Dream of Aengus, by Ted Nasmith
Deusa Boann

Boann / Boand / Boyne: deusa que deu nome ao rio Boyne, na Irlanda, descrito nos poemas “Dindshenchas” – lendas relacionadas à origem dos nomes dos lugares sagrados da Irlanda – do Ciclo Mitológico Irlandês e na lenda do “Salmão da Sabedoria”. É mãe de Oengus com o grande Dagda. Era esposa de Nechtan ou Echmar, que fez uma viagem de apenas um dia e uma noite quando, na verdade, a viagem durou nove meses. Dagda usou seu poder para esconder o adultério de Boann. É a deusa da fertilidade, da abundância e da prosperidade.

caileash
Deusa Caileash

Cailleach: é a deusa da terra e das rochas, diz a lenda que ela criou os morros e as montanhas a sua volta, ao atirar pedras em um inimigo. Na mitologia irlandesa e escocesa é conhecida também como a “Cailleach Bheur”, que significa mulher velha, às vezes, descrita de capuz com o rosto azul-cinzento. Geralmente é vista como a deusa da última colheita (Samhain), dos ventos frios e das mudanças, aquela que controla as estações do ano, a Senhora do Inverno.

Dagdha é um dos deuses mais poderosos da mitologia celta. É um dos líderes dos Tuatha Dé Danann.
Deus Dagda

Dagda: deus da magia, da poesia, da música, da abundância e da fertilidade. No folclore irlandês, Dagda era chamado de “o bom deus”, possuía todas as habilidades sendo bom em tudo, “Eochaid Ollathair” (Pai de todos) e “Ruad Rofhessa” (Senhor de Grande Sabedoria), considerado mestre de todos os ofícios e senhor de todos os conhecimentos. Consorte de Boann, teve vários filhos, entre eles Brighid, Oengus, Midir, Finnbarr e Bodb, o Vermelho. Dagda tinha um caldeirão mágico, o Caldeirão da Abundância, que nunca se esvaziava e uma harpa de carvalho chamada “Uaithne”, que fazia com que as estações mudassem, quando assim o ordenasse. Além disso, tinha um casal de porcos mágicos que podiam ser comidos várias vezes e que sempre reviviam, bem como, um pomar que, independente da estação, dava frutos o ano todo.

Dana (Variações: Danu ou Danann) é a deusa celta mais poderosa. É considerada a mãe dos Tuatha Dé Danann, um dos povos que habitaram a Irlanda.
Deusa Dana

Dana / Danu / Danann: considerada a principal deusa mãe da Irlanda e do maior grupo de deuses, os Tuatha Dé Danann, o Povo de Dana ou o Povo Mágico (Daoine Sidhe), a tribo dos seres feéricos. A Terra de Ana (Iath nAnann), às vezes, é identificada como Anu ou Ana, seu nome significa “Conhecimento”. Era consorte de Bilé e mãe de Dagda. Em Munster, na Irlanda, Dana foi associada a dois morros de cume arredondados, chamados de “Dá Chich Anann” ou “Seios de Ana”, por se parecem com dois seios. É a deusa da fertilidade, da terra e da abundância.

diancecht
Deus Diancecht

Dian Cecht / Diancecht: deus da cura foi o grande médico e curador dos Tuatha Dé Danann, responsável pela restauração do braço de Nuada por um outro braço de prata. Diancecht era irmão de Dagda e teve vários filhos, entre eles Airmid, Etan, Cian, Cethé, Cu e Miach. Seu nome significa “Rápido no poder”.

eriu
Deusa Eriu

Erin / Eriu: filha de Fiachna e Ernmas, descrito no Lebor Gabála Érenn (Livro das Invasões). Junto com suas irmãs Banba e Fotla, Erin era uma das três rainhas dos Tuatha Dé Danann, que deu seu nome à Irlanda, através de uma promessa feita por Amergin, após a invasão dos Milesianos.

flidais
Deusa Flidais

Flidais: deusa da floresta, dos bosques, da caça e das criaturas selvagens, representa a força da fertilidade e da abundância. Viajava numa carruagem puxada por cervos e tinha uma vaca mágica que dava muito leite. Seu nome significa “Doar”, elucidado no conto de “Táin Bó Flidais” – O Roubo do Gado de Flidais. Tinha o poder de se metamorfosear na forma de qualquer animal.

gobniu
Deus Goibniu

Goibniu / Goibhniu: Era o grande ferreiro, construtor e mestre da magia. Goibniu, junto com Credne e Luchta, formavam os três artesãos divinos, conhecidos como os “Trí Dé Dána”. Foi quem forjou todas as armas dos Tuatha Dé Danann e criou o novo braço para o rei Nuada. Suas armas sempre atingiam o alvo e a ferida provocada por elas, era fatal. Deus dos ferreiros, das habilidades culinárias e do trabalho com metais em geral.

lear
Deus Lear

Lir / Lear: No folclore irlandês, Lir era o Deus do mar, considerado também, o Senhor do submundo (o mundo dos ancestrais), da magia e da cura. Lir era pai de Manannán Mac Lir e das crianças Fiachra, Conn, Fingula e Aod, que foram transformadas em cisnes por causa do ciúme da sua madrasta Oifa, nos contos do Ciclo Mitológico Irlandês, conhecido como: O Destino dos Filhos de Lir.

lugh 2
Deus Lugh

Lugh / Lug / Lugus: um dos grandes heróis da mitologia irlandesa, Lugh era filho de Cian (neto por parte dos Dananns de Dian Cecht) e de Ethniu, filha de Balor, rei dos Fomorianos. Uma profecia dizia que Balor seria morto por seu neto. Para evitar esse destino, mandou dar fim nos netos, mas Lugh sobreviveu e foi criado por Tailtiu, sua mãe adotiva. Sua festividade é Lughnasadh, a festa da primeira colheita. Ficou conhecido como “Lugh Lámfada” – Lugh dos braços longos e “Lugh Samildanach” – Lugh, o artesão múltiplo. Lugh é o Deus dos ferreiros, cujo domínio incluía a magia, as artes e todos os ofícios em geral, seu nome significa “Luz” – belo como o Sol. Guardião da espada mágica e da lança invencível, vinda da cidade de Gorias, um dos quatro tesouros dos Tuatha Dé Danann.

As deusas celtas estavam ligadas à terra. Mas enquanto algumas deusas tinham clara e simplesmente papel de assegurar a fertilidade da terra, das pessoas e do gado, outras eram combinações complexas de forças criativas e destrutivas. Macha, por exemplo, era uma deusa que promovia a agricultura, representava o conceito de autoridade e também era a deusa da guerra. (Fonte: Irlanda celta: entre os druídas e os grandes reis, Editora Folio). É irmã das deusas Badb e Morrighan.
Deusa Macha

Macha: deusa da fertilidade e da guerra, filha de Ernmas, junto com as irmãs Badb e Morrighan, podia lançar feitiços sobre os campos de guerra. Após uma batalha os guerreiros cortavam as cabeças dos inimigos e ofereciam a Macha, sendo este costume chamado de a “Colheita de Macha”. É a deusa dos equinos, que durante a gravidez foi forçada a uma corrida de cavalos. Quando chegou ao final, entrou em trabalho de parto e deu à luz a gêmeos. Antes de morrer, Macha colocou uma maldição sobre os homens da província para que em tempos de opressão e maior necessidade, eles sofreriam dores como as de um parto.

Manannán Mac Lir
Deus Manannán Mac Lir

Manannán Mac Lir: Filho de Lir, também é considerado um Deus do mar e do Outro Mundo, homenageado como uma das principais divindades marítimas pelos irlandeses e reverenciado como protetor dos marinheiros. Viaja pelo mar muito mais rápido que o vento em um barco mágico puxado por um cavalo chamado Enbharr, que significa “Espuma de água”. Mestre na mudança de forma, Manannán era uma divindade popular entre os Bardos e todos aqueles que praticavam a adivinhação. Quando os Dananns foram derrotados pelos Milesianos, foi Manannán quem os levou à “Terra da Juventude”, Tir na nÓg, através de colinas subterrâneas, o Sídhe. Ele tinha uma armadura que dizia ser impenetrável e uma capa mágica do esquecimento e da invisibilidade.

morrigan
Deusa Morrigan e suas irmãs, Macha e Badb.

Morrigu / Morrigan / Morrighan: é a Grande Rainha “Mor Rioghain”, na mitologia irlandesa, da tribo dos Tuatha Dé Danann. Senhora da Guerra, possuía uma forma mutável e o poder mágico de predizer o futuro. Reinava sobre os campos de batalha e junto com suas irmãs Badb e Macha eram conhecidas pelo nome de “Três Morrígans”, relacionadas à triplicidade que, para os celtas, significava a intensificação do poder. Associada aos corvos, ao mar, as fadas e a guerra, além da associação à Maeve, rainha de Connacht, casada com o rei Ailill e à Morgana, das lendas arthurianas. Podia mudar sua aparência à vontade, como em um lobo cinza avermelhado. Nos mitos relacionou-se com Dagda e apaixonou-se pelo grande herói celta, Cu Chulainn, que despertou toda sua fúria, ao rejeitá-la. Deusa da morte e do renascimento, da fertilidade, do amor físico e da justiça.

Nuada foi um dos reis dos Tuatha Dé Danann. Quando eles chegaram à Irlanda, reivindicaram a ilha inteira. Eclodiu uma batalha na qual os Tuatha Dé Danann foram vitoriosos, mas seu rei, Nuada, perdeu um braço. Uma vez que um rei era obrigado a estar fisicamente perfeito, Nuada foi forçado a ceder a sua coroa para Bres, um homem que evidentemente tinha muitos defeitos, incluindo um dos mais gritantes para um rei: a falta de hospitalidade. Nuada foi equipado com um braço de prata e quando ele exigiu a devolução do trono, os Tuatha Dé Danann se juntaram de novo a ele. (Fonte: Irlanda celta: entre os druídas e os grandes reis, Editora Folio).
Deus Nuada

Nuada: no folclore irlandês, era reverenciado como rei e grande líder dos Tuatha Dé Danann. Possuía uma espada invencível, vindo da cidade de Findias e que fazia parte dos Tesouros de Dananns. Na primeira Batalha de Magh Turedh perdeu o braço ou a mão, órgão que foi restituído, mas fez com que ele perdesse o trono da tribo. Ficou conhecido como “Nuada, Braço de Prata” ou “Nuada, Mão de Prata”. Nuada era o Deus da justiça, cura e renascimento; irmão de Dagda e Dian Cecht.

ogma
Deus Ogma

Ogma / Oghma: deus da eloqüência, da vidência e mestre da poesia que, na tradição irlandesa, segundo o “Livro de Ballymote”, foi quem inventou o alfabeto oracular “Ogham”, utilizado pelos antigos Druidas, baseado em árvores sagradas. Ogma, meio-irmão de Dagda, Bres e Lugh, era um guerreiro, retratado como um ancião com sorriso no rosto, vestindo casaco de pele e carregando um arco e bastão.

scatha
Deusa Scathach

Scathach / Scath: Seu nome significa a “Sombra”, aquela que combate o medo. Deusa guerreira e profetisa que viveu na Ilha de Skye, na Escócia. Ensinava artes marciais para guerreiros que tinham coragem suficiente para treinar com ela, pois era dura e impiedosa. Considerada a maior guerreira de todos os tempos foi a responsável por treinar Cu Chulainn.

Clique aqui para conhecer os principais deuses e deusas da mitologia galesa (País de Gales).

Clique aqui para conhecer os principais deuses e deusas da mitologia gaulesa (Gália, atual França, Bélgica e Itália setentrional).

Clique aqui para conhecer mais sobre a mitologia celta.

Texto extraído de: Templo de Avalon.

Créditos das imagens: Pinterest.

Anúncios

3 comentários em “Principais Deuses e Deusas Celtas (Mitologia Irlandesa)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s